Wi-Fi conectado com o varejo

Avaliação:

(3 Avaliações)

Por Adriana Silvestrini - adriana.silvestrini@sm.com.br - 07/12/2015

Uso de internet sem fio pelas empresas varejistas não é luxo. É uma ferramenta útil, que traz vantagens para o negócio

No Brasil, o setor supermercadista já é o que mais utiliza estrutura de rede Wi-Fi - internet sem fio - para melhorar processos operacionais e o atendimento ao público. Mesmo assim, ainda há muita resistência a essa tecnologia. Segundo Ricardo Blancas, diretor da Zebra Technologies, no País, está mais do que na hora de as empresas repensarem seus prejulgamentos. Afinal, o Wi-Fi traz vantagens e em curto prazo. "Ao possibilitar um fluxo online de dados referentes à operação, funcionários e clientes, ele dá aos empresários uma visão, em tempo real, de seus negócios", explica Blancas. Na entrevista abaixo, o executivo dá detalhes de como esse sistema pode agilizar as atividades de um supermercado.

Na prática, como o Wi-Fi pode ajudar a loja?

Com acesso em tempo real a qualquer dado referente à operação da rede é possível tomar decisões de maneira mais rápida e assertiva. Ao fazer ajuste de preço nas gôndolas, por exemplo, ganha-se tempo, pois não há necessidade de deslocamento até a área de venda. A rede Wi-Fi também pode ajudar a evitar ruptura. Um funcionário atento aos dados online da operação vai perceber quando um produto está acabando na prateleira. Automaticamente, pelo mesmo sistema de internet, ele consegue comunicar a retaguarda para efetuar a reposição. Na prática, qualquer processo pode ser melhorado, elevando a produtividade e a qualidade do serviço oferecido aos clientes. Mas para o resultado ser positivo, o sistema deve ser bom.

E como é a qualidade dos sistemas Wi-Fi utilizados pelas varejistas no Brasil?

Aqui o pequeno varejo e até algumas redes de médio porte utilizam a rede sem fio que não é a empresarial. A velocidade desse sistema é baixa e ruim. Com isso, o que deveria colaborar para a rapidez na tomada de decisão dentro da loja, acaba em falha de comunicação. Até a experiência com o consumidor é prejudicada. Portanto, é fundamental evitar a solução caseira. Além disso, o varejista deve procurar trabalhar com duas redes de Wi-Fi. Uma para os funcionários e outra para os consumidores. Desta forma, não há risco de sobrecarga no sistema.

E quais as vantagens de proporcionar essa experiência de conexão ao consumidor?

O consumidor brasileiro é muito antenado à tecnologia. Hoje, ele exige esse tipo de conexão no ponto de venda. E o varejista pode tirar proveito disso. Com sistemas online específicos ele tem acesso a muitas informações a respeito dos hábitos de compra dos clientes que estão conectados ao Wi-Fi dentro da loja. De posse desses dados, dá para criar promoções personalizadas, checar por quais áreas da loja eles passam, o que desejam comprar, o que não encontraram. Ou seja, é inteligente e rentável oferecer internet sem fio ao público.

Quais dicas o senhor dá aos supermercadistas que desejam implantar, expandir ou atualizar suas infraestruturas de rede Wi-Fi?

Em primeiro lugar é preciso procurar uma empresa que saiba o que está oferecendo ao cliente. Também é recomendável conversar e tirar todas as dúvidas sobre qual tecnologia é melhor para cada modelo de negócio. Vale ressaltar que para instalar uma rede Wi-Fi, por mais simples que pareça, é necessário um projeto elaborado. Existe a questão da segurança das informações, algo de extrema importância para qualquer empresa. Sem dúvida, o uso dessa tecnologia no ambiente de trabalho é um caminho sem volta. Seu uso nas empresas fora do País já é habitual. Aqui, quem demorar para se adaptar ficará para trás.

Comentários

Comentar com:
Publicidade

ENQUETE

Você acha que indústrias estão tirando mais produtos de linha, ou seja, descontinuando marcas em algumas categorias?

GPS - Guia prático de sortimento

Aqui você pode navegar por todas as seções e categorias de produtos. Utilize um dos filtros abaixo para visualizar as informações:

BUSCAR
Publicidade