Nidobox aumenta lucro líquido com análise de DRE

Avaliação:

(18 Avaliações)

Por Viviane Sousa - 09/09/2016

O Demonstrativo de Resultados do Exercício deixou de ser um simples documento contábil para se transformar em uma eficiente ferramenta de gestão. Saiba como

 

 

Em busca de uma ferramenta para acompanhar de forma prática os resultados do negócio e loja a loja, a rede Nidobox passou a acompanhar e analisar os dados do DRE (Demonstrativo de Resultados do Exercício). Segundo Ivamar Cunha, diretor de operação da rede, com três lojas no Ceará, essa foi uma dos melhores apostas da varejista nos últimos anos. “Além de facilitar a correção de rotas, o DRE permite trabalhar para alcançar o ponto de equilíbrio geral da empresa e de cada unidade, o que torna o negócio mais eficiente e lucrativo”, afirma.

De acordo com Cunha, o ponto de equilíbrio consiste em alcançar as vendas necessárias para cobrir todas as despesas. Para isso, é estabelecido um percentual de margem fixa e de despesas variáveis, que servem de referência. “Em um ano de forte recessão econômica, essa iniciativa nos garantiu alavancar a lucratividade da empresa em 1%”, conta o executivo.

Iniciado há dois anos, o trabalho começou com a apuração dos indicadores, margem bruta e de contribuição, despesas variáveis (entre elas as de embalagens, crédito e quebras), despesas fixas (manutenção, limpeza e pessoal), além de Ebitda, lucro líquido e operacional, entre outros. No segundo ano da implantação, foi possível realizar a análise horizontal dos dados. “Observamos, por exemplo, as despesas que mais cresceram e caíram de um ano para o outro. A partir disso, definimos planos de ação para reduzir as que estavam fora de controle”, explica Cunha.

Outro trabalho foi comparar os indicadores entre lojas. As que tinham melhor desempenho serviam de modelo para as demais. Se, por exemplo, a despesa de embalagem de frente de caixa de uma loja estava em 0,35%, enquanto nas demais ficava em 0,40%, eram identificados os motivos e replicadas as boas práticas. Com a análise do DRE, o Ebitda da rede passou de 6,2% para 6,8%. A meta é alcançar 7%. Com faturamento de R$ 68 milhões, a perspectiva é o supermercado crescer 14% nominal em 2016. 

Embora seja uma ferramenta bastante útil para gestão, o DRE ainda é visto pela maioria das empresas apenas como documento contábil. Mas, se acompanhado regularmente, é possível tomar decisões rapidamente e, assim, aumentar a geração de caixa e o lucro líquido. 

 

Comentários

Comentar com:
Publicidade

ENQUETE

Qual problema mais afeta a logística da sua rede?

GPS - Guia prático de sortimento

Aqui você pode navegar por todas as seções e categorias de produtos. Utilize um dos filtros abaixo para visualizar as informações:

BUSCAR
Publicidade