Importação direta eleva rentabilidade

Avaliação:

(0 Avaliações)

Por Viviane Sousa - 19/11/2014

Leandro Fermino - Super Rede (CE)

 

Importar produtos diretamente dos países de origem é uma estratégia recente da Super Rede, central de negócios do Ceará com faturamento anual de R$ 929 milhões. E os resultados não poderiam ser melhores. Os custos com importação caíram cerca de 70% após os três supermercados associados deixarem de utilizar importadoras do Sudeste. Com isso, essas redes melhoraram vendas e elevaram margens de seus importados, gerando maior rentabilidade. Hoje, são importados mais de 30 SKUs de sete países, em categorias de alimentos e não alimentos.

Leandro Fermino, de 26 anos, é responsável pelo trabalho. Em 2009, passeava pelo Nordeste quando se entusiasmou com o potencial da região. Ao voltar ao interior paulista, onde morava, decidiu procurar empresas nordestinas para trabalhar com importação, área na qual já tinha experiência.

Descobriu que a Super Rede não fazia importação direta e levou a ideia à diretoria. Um ano e meio depois foi chamado a implantar e a comandar a área de importação da SR, distribuidora criada pela rede e mais dois supermercados para atender associados e outras varejistas da região. Fluente em russo, inglês e espanhol, Fermino aceitou o convite. Em seis meses o novo departamento foi inaugurado. "Cuidei de tudo: credenciamentos na Receita Federal, logística internacional, questões sanitárias, parcerias com fornecedores estrangeiros", conta. A lista de responsabilidades ainda inclui formação do portfólio de importados, definição do posicionamento dos itens no mix das lojas, ações de marketing e promocionais.

Neste ano, a SR alcançará a marca de US$ 3,5 milhões em compras de importados, sete vezes mais do que há quatro anos. A Super Rede responde por mais de 50% dos pedidos internacionais. Em 2015, Fermino quer chegar a US$ 5 milhões. Ele intensificará viagens ao exterior em busca de novidades. "O foco é oferecer um portfólio que antecipe tendências e atenda as necessidades dos clientes", afirma. Com valor agregado na gôndola, a rentabilidade só cresce.

Veja mais sobre:

Comentários

Comentar com:
Publicidade

ENQUETE

O consultor Éneas Pestana (ex-GPA) afirmou que, na hora da crise, o varejista tira dinheiro do bolso para capital de giro. O que você faz?

GPS - Guia prático de sortimento

Aqui você pode navegar por todas as seções e categorias de produtos. Utilize um dos filtros abaixo para visualizar as informações:

BUSCAR
Publicidade